SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número2Descrição do processo endêmico-epidêmico da meningite viral no Recife entre 1998 e 2008Uso de agrotóxicos em assentamentos de reforma agrária no Município de Russas (Ceará, Brasil): um estudo de caso índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Epidemiologia e Serviços de Saúde

versão impressa ISSN 1679-4974versão On-line ISSN 2337-9622

Resumo

FILGUEIRA, Amâncio da Cruz; CARDOSO, Mirian Domingos  e  FERREIRA, Luiz Oscar Cardoso. Profilaxia antirrábica humana: uma análise exploratória dos atendimentos ocorridos em Salgueiro-PE, no ano de 2007. Epidemiol. Serv. Saúde [online]. 2011, vol.20, n.2, pp.233-244. ISSN 1679-4974.  http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742011000200012.

OBJETIVO: descrever o atendimento antirrábico humano pós-exposição em 511 indivíduos agredidos por animais potencialmente transmissores da raiva, em Salgueiro-PE, no ano de 2007. METODOLOGIA: as variáveis estudadas foram obtidas dos registros do atendimento antirrábico humano, no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, analisadas pelo programa Epi Info 6.4. RESULTADOS: o grupo mais atingido foi o adulto do sexo masculino residente na zona urbana; cães e gatos foram responsáveis por 88,2% das agressões, estando sadios no momento da agressão (98,7%), provocando ferimentos profundos, únicos nas mãos/pés e membros inferiores; predominou a conduta de observação e vacinação; das pessoas analisadas, 85,7% procuraram atendimento médico em até cinco dias da agressão. CONCLUSÃO: a elevada indicação de tratamento antirrábico para pacientes que tiveram contato com os animais sadio e observável aponta para três importantes fatores: a elevada indicação de tratamento antirrábico para pacientes que tiveram contato com os animais sadios, observável, aponta para três importantes fatores - o desconhecimento da norma técnica, baixa vigilância dos animais agressores ou desconhecimento da situação epidemiológica da área

Palavras-chave : raiva; profilaxia; vírus da raiva; vigilância epidemiologia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )