SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.1 número1Vigilância da leishmaniose visceral em localidades epidemiologicamente distintas em Juruti, um município minerário do Estado do Pará, BrasilCaracterização molecular de rotavírus humanos do tipo G1 detectados em crianças de Belém, Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

CHAGAS, Anadeiva Portela; HENRIQUE MULLER, Adolfo; SOARES, Milene  e  GARCEZ, Lourdes Maria. Potencial anti-Leishmania e imunomodulador dos extratos de Campsiandra laurifolia Benth. (Fabaceae). Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2010, vol.1, n.1, pp.117-124. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232010000100017.

Infusões das folhas, cascas e sementes de Campsiandra laurifolia Benth. (Fabaceae) são utilizadas por comunidade de negros descendentes de escravos (quilombolas) para o tratamento, principalmente, de leishmaniose cutânea (LC), feridas, úlceras e impigens. Extratos hidroalcóolicos e aquosos de C. laurifolia foram investigados para a atividade anti-Leishmania sobre promastigotas e amastigota de Leishmania (L.) amazonensis e resposta imunomoduladora: proliferação celular de esplenócitos e produção ON por macrófagos peritoniais de camundongos BALB/c. Os extratos hidroalcóolicos da casca e aquosos da folha e semente apresentaram reduzida atividade contra as formas amastigotas e promastigotas (<20%) e o mesmo foi observado para a inibição da produção de ON por macrófagos ativados (<23%). A maioria dos extratos revelou moderado potencial imunossupressor (32,6% a 38,5%), mas os extratos aquosos da semente (AS) inibiram em até 87% o crescimento de esplenócitos de BALB/c estimulados com mitógenos. Tal atividade talvez explique a indicação quilombola de C. laurifolia para o tratamento de LC, pois o seu uso pode não estar associado majoritariamente com uma ação direta sobre o parasito, mas sim com uma atividade anti-inflamatória, de vez que, tal atividade diminui os danos teciduais causados pelo sistema imune em resposta à infecção e, consequentemente, ajuda na cicatrização das lesões leishmanióticas.

Palavras-chave : Fitoterapia; Extratos Vegetais; Fabaceae; Leishmaniose; Imunossupressão.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português | Inglês | Espanhol     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf ) | Espanhol ( pdf )