SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.1 número2Espécies neotropicais de Leishmania: uma breve revisão histórica sobre sua descoberta, ecologia e taxonomiaDoença periodontal materna e parto pré-termo: um estudo de caso-controle índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

BENFATTI, Camila Simões et al. Atividade antibacteriana in vitro de extratos brutos de espécies de Eugenia sp frente a cepas de molicutes. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2010, vol.1, n.2, pp.33-39. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232010000200003.

A necessidade da busca de novos antimicrobianos e o interesse nas espécies de molicutes vêm aumentando constantemente, principalmente pelo fato de serem os molicutes responsáveis pelo desenvolvimento de várias doenças importantes, como é o caso de Mycoplasma arginini, M. hominis e Ureaplasma urealyticum. Estes dois últimos apresentam envolvimento em infecções do trato urogenital que podem levar à infertilidade e a complicações da gestação. M. arginini é um importante patógeno animal isolado de ovelhas, que causa uma doença respiratória grave chamada de "síndrome da tosse", e, eventualmente, zoonoses no homem. O gênero Eugenia pertence à família Myrtaceae, que compreende cerca de 500 espécies de plantas com potencial terapêutico. Neste trabalho foram obtidos extratos brutos das folhas de Eugenia beaurepaireana, E. brasiliensis e E. umbelliflora, e estes foram testados pelo método de microdiluição em caldo frente às cepas de molicutes. Com isso, foi determinada a concentração inibitória mínima dos extratos das plantas, sendo de 1,25 mg/mL para E. beaurepaireana, 2,5 mg/mL para E. brasiliensis, e 5,0 mg/mL para E. umbelliflora contra as três espécies de molicutes igualmente. Dentre os resultados observados, destaca-se principalmente E. beaurepaireana, que apresentou um bom potencial antimicrobiano. Devido às patogenias importantes que estas bactérias causam, e à crescente resistência aos antimicrobianos tradicionais utilizados no tratamento, torna-se importante a busca por novos tipos de antibióticos dentro da biodiversidade brasileira. Existem raros estudos sobre as propriedades farmacológicas das plantas do gênero Eugenia, e nossos resultados são os primeiros relatos sobre sua atividade antimicrobiana frente a espécies de molicutes.

Palavras-chave : Mycoplasma; Ureaplasma; Testes de Sensibilidade Microbiana; Produtos Biológicos.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português | Espanhol     · Português ( pdf ) | Espanhol ( pdf )