SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número4Ocorrência de óbitos por acidentes de motocicletas em Teresina, Estado do Piauí, BrasilPerfil de sensibilidade do gênero Candida a antifúngicos em um hospital de referência da Região Norte do Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

COSTA, Jaqueline Helen Godinho et al. Prevenção do câncer de colo do útero em comunidades ribeirinhas atendidas pelo Programa Luz na Amazônia, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2011, vol.2, n.4, pp.17-22. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232011000400003.

O câncer de colo do útero (CCU) é o que apresenta a maior incidência nas mulheres do Estado do Pará, Brasil, sem considerar os tumores da pele não melanoma, com tendência à elevação da mortalidade no interior. Trabalhar a prevenção de CCU em comunidades ribeirinhas é importante para a redução da mortalidade por esse câncer no interior do Estado, devido à frequência e peculiaridades dessas comunidades na região. Este trabalho objetivou a prevenção primária e secundária do câncer cervical nas comunidades ribeirinhas atendidas pelo Programa Luz na Amazônia. As ações de prevenção primária abrangeram 317 famílias nas cinco comunidades visitadas de fevereiro de 2009 a novembro de 2011. Um total de 104 mulheres realizou o exame citológico preventivo do câncer de colo do útero (PCCU). A avaliação citológica classificou 22,12% (n = 23) dos esfregaços como normais; 62,50% (n = 65) como inflamatórios; 9,61% (n = 10) como contendo células escamosas atípicas de significado indeterminado (ASC); e 5,77% (n = 6) com lesões escamosas intraepiteliais (SIL). Das 55 (52,88%) mulheres que nunca haviam realizado o exame, metade tinha mais de 35 anos de idade. Dentre os fatores de risco para o desenvolvimento do CCU, foram identificados a baixa escolaridade, a baixa cobertura do exame preventivo, o início precoce da atividade sexual e a multiparidade. Por outro lado, a baixa frequência de mulheres com múltiplos parceiros sexuais, de fumantes e usuárias de métodos contraceptivos pode estar caracterizando fatores de proteção.

Palavras-chave : Prevenção de Câncer de Colo Uterino; Esfregaço Vaginal; Doenças Sexualmente Transmissíveis; Relações Comunidade-lnstituição; Saúde Pública.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )