SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número2Perfil sociodemográfico dos médicos que compõem equipes de saúde da família na Região Metropolitana do Recife, Estado de Pernambuco, BrasilAnálise da distribuição espaço-temporal da leptospirose humana em Belém, Estado do Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

LOUREIRO, Sarita Nunes; VIDEIRA, Marcela Nunes  e  GIARRIZZO, Tommaso. Interação hospedeiro-parasita entre a sardinha Cetengraulis edentulus (Cuvier, 1829) e o isópode parasita Livoneca desterroensis (Isopoda, Cymothoidae) em um estuário do norte do Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2012, vol.3, n.2, pp.25-31. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232012000200004.

O isópode Livoneca desterroensis (Thatcher, Souza-Conceição, Jost, 2003) foi encontrado parasitando o peixe Cetengraulis edentulus em um ambiente de entremaré lamoso não vegetado do estuário do rio Curuçá, norte do Brasil. As amostragens foram realizadas com o auxílio de uma rede de arrasto-de-praia no período de maré de quadratura ao longo de um ciclo de maré. Um total de 1.134 peixes da espécie C. edentulus foi coletado. Na observação parasitológica foi verificado que 80 (7%) dos peixes estavam parasitados por 83 indivíduos de L. desterroensis. Do número total de parasitas encontrados foi observada uma maior frequência para fêmeas 86% (71) em relação aos machos 14% (12). O local no corpo dos hospedeiros onde se verificou a maior frequência de parasitas foi a brânquia 97,6% (n = 81), já a boca apresentou apenas 2,4% (n = 2). A prevalência de parasitismo foi de 7,05%, a intensidade média foi de 1,04 e a abundância de 0,07. Uma forte correlação positiva (r = 0,72; p < 0,05) em relação ao comprimento total (cm) do hospedeiro e dos parasitas por sexos agrupados e em relação ao comprimento total (cm) das parasitas fêmeas (r = 0,78; p < 0,05). Em todas as classes de tamanho dos hospedeiros infestados verificou-se a predominância de parasitas fêmeas e um aumento na frequência de fêmeas conforme o aumento na classe de tamanho do hospedeiro. Esse é o primeiro registro de L. desterroensis parasitando o C. edentulus no estuário do rio Curuçá, nordeste do Estado do Pará.

Palavras-chave : Doenças dos Peixes; Interações Hospedeiro-Parasita; Boca; Brânquias.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )