SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.5 número3Conhecimento sobre gastroenterite viral pelos profissionais de saúde de um hospital materno-infantil de referência no Estado do Pará, BrasilMetodologia de avaliação socioambiental participativa, integrando o saber acadêmico e o popular para um planejamento sustentável para o lago Iripixi, Oriximiná, Estado do Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

MELO, Suenny Leal; MACEDO, Geraldo Mariano Moraes de; PIRES, Carla Andrea Avelar  e  CUNHA, Maria Heliana Chaves Monteiro da. Recidiva hansênica em área de alta endemicidade no Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2014, vol.5, n.3, pp.19-24. ISSN 2176-6223.

Considera-se como um caso de recidiva hansênica, o indivíduo que, após ter recebido alta por cura, apresente sinais clínicos de atividade da doença. Com o objetivo de conhecer a ocorrência de casos de recidiva e fatores clínico-epidemiológicos relacionados, em pacientes em uma região hiperendêmica, foi realizada uma pesquisa cujos métodos abrangem um estudo epidemiológico, transversal com caráter descritivo entre janeiro de 2007 e dezembro de 2008, com dados fornecidos pela Unidade de Referência Especializada (URE) em hanseníase Dr. Marcello Candia, no Estado do Pará, Brasil. Os resultados do estudo revelaram que dos 27 pacientes, 96,3% pertenciam à classificação multibacilar, predominantemente do sexo masculino (74,1%), com a faixa etária de 29 a 42 anos de idade (44,4%), a maioria da região metropolitana de Belém (70,4%). A manifestação clínica caracterizou-se por lesões novas (81,5%), com tempo de aparecimento entre cinco a dez anos (55,6%). O diagnóstico usou avaliação clínica e de índice baciloscópico (63%), destes 40,7% obtiveram baciloscopia entre 4 a 6 +. O grau de incapacidade em 44,4% não foi registrado no início do tratamento. Os casos de recidiva hansênica diagnosticados e tratados na URE Dr. Marcello Candia, em sua grande maioria, obedeceram aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. O grau de incapacidade em alguns pacientes não apresentou resultado nessa avaliação, o qual é muito importante para a prevenção de incapacidades. A avaliação dermatoneurológica simplificada, preconizada pelo Ministério da Saúde, deve ser reforçada em sua importância em todos os serviços que atendem pacientes com hanseníase, visto que é essencial no diagnóstico precoce de danos neurológicos.

Palavras-chave : Hanseníase; Recidiva; Terapêutica.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )