SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.5 número4Efeito do treinamento resistido sobre o ganho de força muscular nos membros inferiores em mulheres com incontinência urinária de esforçoOcorrência de enteroparasitoses em comunidades ribeirinhas do Município de Igarapé Miri, Estado do Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

PEREIRA, Esdras Edgar Batista; SANTOS, Nadia Barreto dos  e  SARGES, Edilene do Socorro Nascimento Falcão. Avaliação da capacidade funcional do paciente oncogeriátrico hospitalizado. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2014, vol.5, n.4, pp.37-44. ISSN 2176-6223.

No Brasil, estima-se que 60% dos pacientes oncológicos tenham mais de 65 anos de idade, o que obriga uma ação integrada entre a oncologia e a geriatria. Essa nova abordagem evidencia a capacidade funcional como um preditor de saúde. O presente estudo tem como objetivo avaliar a capacidade funcional e o desempenho dos sistemas funcionais de idosos com diagnóstico de câncer. Trata-se de um estudo descritivo e analítico transversal, com idosos, que apresentam diagnóstico de câncer, internados na clínica médica do Hospital Universitário João de Barros Barreto, em Belém, Estado do Pará, Brasil. Os instrumentos utilizados foram: a escala Performance Status do Eastern Cooperative Oncology Group (PS-ECOG), a escala de Katz (ABVD), escala de Lawton (AIVD), miniexame do estado mental (MEEM), escala de depressão geriátrica 15 (GDS-15), teste Timed Up and Go (TUG), teste de Tinetti e a avaliação funcional das habilidades de comunicação da Associação Americana de Fonoaudiologia (ASHA FACS). Foram avaliados sete idosos (amostra por conveniência), com a capacidade funcional classificada entre 2 e 4 na escala PS-ECOG, e desempenho médio de 10,4 pontos para as ABVD e de 17,6 para as AIVD. O perfil dos sistemas funcionais evidenciou desempenho médio de 14,9 pontos no MEEM; 3,3 na escala GDS-15; 5,5 na ASHA FACS; 12,2 segundos no TUG e de 18,5 pontos no teste de Tinetti, revelando alterações na autonomia e na independência. A maioria dos indivíduos estudados apresentou sua capacidade funcional alterada, devido à semidependência para as atividades de vida diária, justificada por desempenhos anormais na cognição, mobilidade e comunicação.

Palavras-chave : Idoso Fragilizado; Hospitalização; Câncer; Geriatria; Oncologia.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )