SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 número2Infecções bacterianas primárias da pele: perfil dos casos atendidos em um serviço de dermatologia na Região Amazônica, BrasilAplicação de gráficos de controle de séries temporais para modelagem e monitoramento da sazonalidade do norovírus índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

SILVA, Adriane Cristine Barbosa e et al. Perfil soroepidemiológico da hepatite B em localidades ribeirinhas do rio Madeira, em Porto Velho, Estado de Rondônia, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2015, vol.6, n.2, pp.51-59. ISSN 2176-6223.

Em duas localidades ribeirinhas do Município de Porto Velho, Estado de Rondônia, Brasil, foi realizado um estudo observacional, de corte transversal, para avaliar o perfil soroepidemiológico do vírus da hepatite B (VHB) e possíveis fatores de risco na transmissão. Foram analisadas 660 amostras, por meio de exames sorológicos pelo método ELISA, para o VHB (anti-HBc total, anti-HBs e HBsAg). Os resultados mostraram que 50,7% (335) das amostras apresentaram positividade para algum tipo de marcador sorológico. O HBsAg foi reagente em 12 (1,8%) amostras, sendo 11 (91,6%) oriundas de indivíduos do sexo masculino. O anti-HBc total reagente ocorreu em 212 (32,1%) das amostras e distribuído em todas as faixas etárias, com exceção da faixa de 11 a 16 anos de idade. O anti-HBs reagente esteve presente em 239 (36,2%) das amostras, com as maiores prevalências nos grupos etários a partir dos 21 anos de idade. O estudo permitiu observar que as localidades analisadas possuem baixa endemicidade para portadores crônicos, entretanto observou-se uma alta prevalência para a infecção. A porcentagem de indivíduos suscetíveis foi de 49,2% (325), sendo maior entre indivíduos entre 6 e 15 anos de idade. Os fatores de transmissão, como extrações dentárias, cirurgias e compartilhamento de materiais de higiene pessoal estão possivelmente associados à infecção pelo VHB na região analisada. Além disso, a baixa porcentagem do marcador anti-HBs direciona para uma falha na cobertura vacinal na população avaliada no presente estudo.

Palavras-chave : Vírus da Hepatite B; Prevalência; População Rural; Cobertura Vacinal.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )