SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 número3Aspectos epidemiológicos dos casos de leucemia e linfomas em jovens e adultos atendidos em hospital de referência para câncer em Belém, Estado do Pará, Amazônia, BrasilLeptospirose canina e humana, uma possível transmissão conjuntival no Município de São Paulo, Estado de São Paulo, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6215versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

BARBOSA, Constança Simoes et al. Turismo de risco para esquistossomose mansônica em Porto de Galinhas, Estado de Pernambuco, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2015, vol.6, n.3, pp.51-58. ISSN 2176-6215.

Apesar do balneário Porto de Galinhas - situado no Município de Ipojuca, Estado de Pernambuco, Brasil - ser o destino turístico mais procurado no Estado, inúmeras pousadas vêm sendo construídas em áreas sem saneamento, onde proliferam criadouros e focos de Biomphalaria glabrata, o principal caramujo transmissor da esquistossomose mansoni. A localidade é considerada endêmica para esta doença e, na estação das chuvas, o risco de exposição aumenta, com ruas e quintais repletos de caramujos, o que promove a infecção sazonal da população que transita por aquele ambiente. O objetivo do estudo foi: (1) realizar mapeamento georreferenciado de hotéis, pousadas, criadouros e focos de caramujos vetores da esquistossomose na localidade Merepe III, pelo uso de GPS; (2) verificar a distância e a influência entre os criadouros, focos e os locais de hospedagem, por meio da construção de mapas de Kernel; e (3) definir o risco espacial para exposição ou contaminação dos turistas, pela construção de mapas temáticos Kernel, mostrando a sobreposição da expansão da lâmina dágua com caramujos vetores sobre os locais de hospedagem. A localidade Merepe III apresentou 37 locais de hospedagem, sete criadouros e um foco de B. glabrata. O mapa Kernel mostrou que 24,32%, 45,95% e 70,27% dos locais de hospedagem ficam dentro de um raio de 100, 200 e 300 m, respectivamente, do foco de transmissão dos vetores da esquistossomose. A lâmina d'água das chuvas, os criadouros e focos sobrepõem-se, mostrando a área de risco de exposição para os turistas que transitarem pelas ruas de Porto de Galinhas.

Palavras-chave : Localização Geográfica de Risco; Esquistossomose; Transmissão de Doença Infecciosa; Meio Ambiente; Saúde do Viajante; Geoprocessamento.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )