SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 número4Estudo piloto: análise do fígado de ratos submetidos ao alcoolismo crônico experimental e tratados com Morinda citrifolia (noni)Detecção de metapneumovírus humano em crianças portadoras de infecções respiratórias agudas atendidas em um hospital de urgência e emergência em Belém, Estado do Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

OLIVEIRA, Francisca Laís Araújo de et al. O uso de diferentes Taq DNA polimerases para a detecção de Chlamydia trachomatis em amostras cervicais. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2015, vol.6, n.4, pp.19-24. ISSN 2176-6223.

INTRODUÇÃO: Chlamydia trachomatis é uma pequena bactéria gram-negativa sexualmente transmissível, que progride de forma assintomática na maioria das pessoas infectadas, causando danos a longo prazo, principalmente no sistema reprodutor feminino. A reação em cadeia da polimerase (PCR) tem sido o método diagnóstico mais utilizado em estudos epidemiológicos recentes, apresentando sensibilidade superior do que outros testes de sensibilidade. Para um bom desempenho da PCR, a escolha de enzimas é importante porque possuem características diferentes que influenciam em seu desenvolvimento. OBJETIVO: Analisar e comparar a detecção de C. trachomatis utilizando três enzimas comerciais Taq DNA polimerases em 280 amostras cervicais. MÉTODOS: As enzimas utilizadas foram: Taq DNA polimerase recombinante (Invitrogen, EUA), Platinum Taq DNA polimerase (Invitrogen, EUA) e Platinum Taq DNA polimerase de alta fidelidade (Invitrogen, EUA). RESULTADOS: Foram analisadas 280 amostras cervicais de mulheres que vivem na Cidade de Coari, Estado do Amazonas, Brasil, cuja média de idade era de 36,3 anos, a maioria tinha baixa escolaridade, tendo a primeira relação sexual na média de 15,7 anos de idade (DP = 0,7) e com em média 3,7 filhos. Destas, 42,5% relatavam queixas clínicas durante a visita, entre as quais predominavam o corrimento vaginal, coceira, dor pélvica e dor ao urinar. Do total de 280 amostras, quatro (1,4%) foram positivas usando Taq DNA polimerase recombinante, sete (2,5%) utilizando a enzima Platinum Taq DNA polimerase e 11 (3,9%) amostras foram positivas utilizando Platinum Taq DNA polimerase de alta fidelidade. A análise estatística não mostrou diferença entre os grupos (p = 0,186). CONCLUSÃO: Taq DNA polimerases com propriedades distintas apresentam diferenças no desempenho na detecção de C. trachomatis.

Palavras-chave : Taq Polimerase; Chlamydia trachomatis; Técnicas de Diagnóstico Molecular.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )