SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 número1Estudo da atividade antibacteriana dos monoterpenos timol e carvacrol contra cepas de Escherichia coli produtoras de β-lactamases de amplo espectro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

ROCHA, Daniela Cristiane da Cruz; MARINHO, Anderson Nonato do Rosario; SANTOS, Schirley Dias dos  e  LOUREIRO, Edvaldo Carlos Brito. Caracterização molecular de Escherichia coli enteropatogênica atípica em animais silvestres capturados na Região Amazônica. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2017, vol.8, n.1, pp.9-16. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232017000100002.

OBJETIVO:

Identificar animais silvestres como reservatórios de Escherichia coli enteropatogênica atípica (aEPEC).

MATERIAIS E MÉTODOS:

Foram pesquisados os fatores de virulência de aEPEC (eae e bfp) em 263 amostras de E. coli isoladas de 260 animais silvestres capturados em três municípios do estado do Pará (Marabá, Parauapebas e Canaã dos Carajás), de março de 2008 a dezembro de 2009. Os métodos de pesquisa aplicados foram a reação em cadeia da polimerase, utilizando primers específicos, seguida do sequenciamento do gene eae.

RESULTADOS:

Dentre as 263 amostras de E. coli avaliadas, foram observadas 3,04% (8/263) como aEPEC, com 2,66% (7/263) em roedores e 0,4% (1/263) em marsupiais. Dentre as amostras analisadas, observou-se a presença de quatro variantes de intimina: β1 (amostras 574, 812 e 813), β2 (amostra 630), ζ (amostras 445 e 447) e ε (amostras 611 e 856). Após análise filogenética pelo método de agrupamento de pares não ponderados com base na média aritmética, foi obtida a árvore consenso que apresentou a formação de dois grupos: o primeiro composto por KT591282.1, ε1 intimina (611 e 856) com KT591233.1, β1 intimina (574, 812 e 813); e o segundo por KT591325.1, ζ intimina (445 e 447) com KT591333.1, β2 intimina (630).

CONCLUSÃO:

Os dados demonstraram que as aEPEC isoladas dos animais silvestres possuíam características genéticas semelhantes às observadas em humanos, podendo os animais analisados estarem servindo de reservatório para as aEPEC circulantes.

Palavras-chave : Escherichia coli Enteropatogênica Atípica (aEPEC); Animais Silvestres; Reservatórios; Diversidade Genética.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )