SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 número2Perfil clínico-epidemiológico de idosos submetidos à quimioterapia antineoplásica atendidos em um hospital de referência oncológica do estado do Pará, BrasilTeste rápido molecular GeneXpert MTB/RIF para diagnóstico da tuberculose índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

LIMA, Sandra Souza et al. Análise espacial da tuberculose em Belém, estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2017, vol.8, n.2, pp.55-63. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232017000200007.

INTRODUÇÃO:

A tuberculose (TB), no Brasil, concentra-se nas regiões metropolitanas e é associada à situação socioeconômica da população. Em 2011, Belém, capital do estado do Pará, apresentou uma das maiores baixas de incidência da doença.

OBJETIVOS:

Avaliar a distribuição espacial da infecção pelo Mycobacterium tuberculosis em Belém entre 2006 e 2010, e associar a incidência da infecção com as condições de vida da população.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Informações de morbidade e mortalidade foram obtidas de bancos de dados nacionais (SINAN, SIM e IBGE). Os índices de Moran global (IMG) e Moran local identificaram dependência espacial.

RESULTADOS:

A taxa de incidência da TB alcançou 93 casos/100.000 habitantes e a de mortalidade 4 casos/100.000 habitantes. O IMG mostrou dependência espacial negativa quanto à incidência e à dependência espacial positiva nas taxas de mortalidade entre bairros. A incidência de casos de TB cresceu com o aumento do número de áreas carentes nos bairros. O método bayesiano foi eficiente para analisar a incidência da doença em bairros com populações pequenas. A incidência se distribuiu espacialmente de forma aleatória e associada às condições socioeconômicas da população. A baixa taxa de mortalidade evidenciou uma boa avaliação dos serviços de tratamento e acompanhamento dos doentes.

CONCLUSÃO:

A aplicação da análise espacial e métodos estatísticos, que aprimoram a qualidade da informação, são importantes para melhor avaliar ações futuras de prevenção contra agentes infecciosos. É necessário dar continuidade a campanhas de prevenção da TB e ao acompanhamento de doentes, a fim de aumentar a adesão ao tratamento e diminuir a mortalidade entre a população com maior dificuldade de acesso aos serviços de saúde.

Palavras-chave : Tuberculose; Análise Espacial; Método Bayesiano.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )