SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 número3Prevalência da infecção pelo vírus da hepatite B em um município do interior do estado do Acre, Amazônia Ocidental, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

COSTA, Leandro Araújo; BORBA-PINHEIRO, Cláudio Joaquim; REIS, Juliana Henrique dos  e  REIS JUNIOR, Sílvio Henrique dos. Análise epidemiológica da hanseníase na Microrregião de Tucuruí, Amazônia brasileira, com alto percentual de incapacidade física e de casos entre jovens. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2017, vol.8, n.3, pp.9-17. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232017000300002.

OBJETIVO:

Verificar o perfil epidemiológico da hanseníase na Microrregião de Tucuruí, estado do Pará, Brasil, nos anos de 2010 a 2014.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Foram coletados dados sobre os seis municípios da Microrregião de Tucuruí, referentes ao período de 2010 a 2014, disponibilizados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, organizados em planilhas e analisados estatisticamente no software BioEstat v5.3.

RESULTADOS:

A Microrregião de Tucuruí está na segunda posição em notificações de casos no Estado, na terceira na Região Norte e na 17ª do Brasil; em 2010, registrou 95,53/100.000 habitantes e notificou 1.786 casos no período de 2010 a 2014, sendo 61,5% do sexo masculino; 45,0% na faixa etária de 15 a 39 anos; 66,5% com ensino fundamental como grau de instrução; e predominou a forma multibacilar (68,1%). Aproximadamente um terço (30,1%) da população estudada apresentou algum grau de incapacidade no momento do diagnóstico. É válido ressaltar que 214 casos ocorreram em menores de 15 anos de idade no período estudado, representando 12,0% do total.

CONCLUSÃO:

A Microrregião ainda permanece no perfil de hiperendemicidade, com elevado número de casos entre menores de 15 anos de idade, e/ou algum grau de incapacidade após a alta por cura, o que demonstra a necessidade de adoção de políticas de educação em saúde voltadas para a população em situação de risco, visando o diagnóstico precoce.

Palavras-chave : Hanseníase; Epidemiologia Descritiva; Perfil de Saúde; Mycobacterium leprae.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )