SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número1Avaliação microbiológica de coco (Cocos nucifera) ralado comercializado em feiras livres do município de Belém, estado do Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6215versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

NUNES, Daniele Monteiro et al. Inquérito da cobertura vacinal de tríplice bacteriana e tríplice viral e fatores associados à não vacinação em Santa Maria, Distrito Federal, Brasil, 2012. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2018, vol.9, n.1, pp.9-17. ISSN 2176-6215.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232018000100002.

INTRODUÇÃO:

A vacinação é uma intervenção segura que propicia imunidade individual e coletiva, se utilizados os esquemas corretamente. A vacina tríplice bacteriana (DTP) protege contra difteria, tétano e coqueluche e a tríplice viral (SCR) contra sarampo, caxumba e rubéola. As doses de reforço são indicadas para corrigir possíveis falhas vacinais primárias e garantir a imunidade.

OBJETIVOS:

Estimar a cobertura vacinal do segundo reforço da DTP e da segunda dose da SCR em crianças de 7 a 9 anos de idade, e identificar os possíveis fatores associados à não vacinação.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Foi realizado um estudo transversal do tipo inquérito domiciliar, com amostra probabilística por conglomerados 30x7, resultando em 206 crianças residentes na Região Administrativa de Santa Maria, Distrito Federal, Brasil, entre junho e julho de 2012. A análise dos dados foi realizada calculando-se as medidas de frequência, tendência central e dispersão, assim como a razão de prevalência associadas à vacinação.

RESULTADOS:

Houve baixa cobertura vacinal para o segundo reforço de DTP (72,3%; IC95%: 66-78) e segunda dose de SCR (76,7%; IC95%: 71-83). Os fatores relacionados à não vacinação foram significativos quando os cuidadores das crianças não eram os pais; famílias com três filhos ou mais; ser a partir do quarto filho; e não receber visita domiciliar de profissionais de saúde.

CONCLUSÃO:

As condições socioeconômicas das famílias e a baixa adesão à vacinação das crianças levam a baixas coberturas vacinais e a maior suscetibilidade ao adoecimento.

Palavras-chave : Cobertura Vacinal; Vacina Contra Difteria, Tétano e Coqueluche; Vacina Contra Sarampo, Caxumba, Rubéola.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )