SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número1Avaliação do pré-natal quanto à detecção de sífilis e HIV em gestantes atendidas em uma área rural do estado do Pará, BrasilPerfil epidemiológico dos casos de hepatite C em um hospital de referência em doenças infectocontagiosas no estado de Goiás, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6215versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

HAGE, Caio de Andrade et al. Traumas faciais e morbidade bucal provocada pela violência em Belém, estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2018, vol.9, n.1, pp.41-49. ISSN 2176-6215.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232018000100006.

OBJETIVO:

Identificar as lesões da região bucomaxilofacial relacionadas a casos de violência em indivíduos com traumas faciais ocorridos na cidade de Belém, estado do Pará, Brasil, no período de 2006 a 2010.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Trata-se de um estudo descritivo transversal, cuja coleta de dados foi realizada no Instituto Médico Legal de Belém. Fizeram parte do banco de dados todos os laudos de indivíduos envolvidos em violência, com consequente trauma facial, do período de janeiro de 2006 a dezembro de 2010 (total de 1.123 laudos). Os dados foram armazenados em formulário padronizado e analisados por estatística descritiva e pelos testes de Kruskal-Wallis e de correlação de Spearman (rs).

RESULTADOS:

Homens solteiros (69,58%), de cor parda (96,65%) e idade média de aproximadamente 31 anos apresentaram maior frequência tanto como vítimas (687/1.123) como principais agressores (56,77%). As lesões mais encontradas foram em tecido mole (lábios, mucosa jugal, língua, outros), com características de erosão, edema, equimose, entre outros. O lado direito da face (39,66%) foi o mais afetado, houve 330 casos de fratura dentária e 234 de avulsão dentária. Os dentes anteriores superiores foram os mais afetados (66,05%). Não houve correlação entre a etiologia e a gravidade da lesão (rs = 0,2027).

CONCLUSÃO:

Traumatismos faciais foram mais prevalentes em homens solteiros e jovens. As lesões mais frequentes ocorreram em tecidos moles com características de erosão, equimose e edema, seguidas por lesões dentárias.

Palavras-chave : Violência; Traumatismos Craniocerebrais; Traumatismos Dentários; Odontologia; Saúde Pública.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )