SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número2Perfil sociodemográfico dos pacientes em cuidados paliativos em um hospital de referência em oncologia do estado do Pará, BrasilSíntese e avaliação do prop-2-in-1-il 4,6-di-O-acetil-2,3-didesoxi-α-D-eritro-hex-2-enopiranosídeo contra espécies não albicans de Candida e resultados da associação com a anfotericina B ou com o cetoconazol índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

SOUSA, Hivis da Costa et al. Hipertensão pulmonar em pacientes com doença renal crônica terminal internados em um hospital de referência em nefrologia do estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2018, vol.9, n.2, pp.37-42. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232018000200005.

OBJETIVOS:

Verificar a existência de hipertensão arterial pulmonar (HAP) entre os pacientes portadores de doença renal crônica (DRC) em hemodiálise e identificar seus perfis clínicos.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Estudo retrospectivo, realizado por meio da análise de prontuários de pacientes internados em um hospital de referência em nefrologia do estado do Pará, Brasil, de janeiro a dezembro de 2014. Pela aplicação de um questionário, foram analisados idade, gênero, comorbidades, motivo da internação, tipo de acesso vascular e informações do ecocardiograma Doppler transtorácico, como a medida da pressão sistólica da artéria pulmonar (PSAP), considerando-se valores ≥ 35 mmHg sugestivos de HAP.

RESULTADOS:

Dos 101 pacientes investigados, 21,8% apresentavam sinais sugestivos de HAP. Desses, 63,6% pertenciam ao gênero masculino, com média de idade de 60,36 ± 12,35 anos. Constatou-se média de PSAP de 51,13 ± 11,40 mmHg e a maioria das internações foram motivadas por uremia (45,5%) e síndrome coronariana aguda (13,6%). Entre as comorbidades, destacaram-se a hipertensão arterial sistêmica (95,5%) e a diabetes mellitus (50,0%). A maioria dos pacientes usava um acesso vascular de curta permanência do tipo Shilley (95,5%) para hemodiálise, e o desfecho mais reportado foi o óbito (36,4%).

CONCLUSÃO:

O rastreamento de HAP por ecocardiograma pode ser útil para a avaliação cardiopulmonar entre os pacientes urêmicos, havendo necessidade de estudos prospectivos para melhor esclarecer a relação entre HAP e a terapia de hemodiálise em portadores de DRC.

Palavras-chave : Doença Renal Crônica; Hemodiálise; Hipertensão Pulmonar.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )