SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número3Os primeiros dias da Faculdade de Medicina e Cirurgia do Pará: o protagonismo de Antônio Magno e SilvaAspectos clínicos e epidemiológicos da infecção genital pelo papilomavírus humano em gestantes do município de Imperatriz, estado do Maranhão, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Resumo

NEVES, Dilma Costa de Oliveira et al. Aspectos epidemiológicos da tuberculose nas Regiões de Integração do estado do Pará, Brasil, no período entre 2005 e 2014. Rev Pan-Amaz Saude [online]. 2018, vol.9, n.3, pp.21-29. ISSN 2176-6223.  http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232018000300003.

OBJETIVO:

Descrever aspectos epidemiológicos da tuberculose (TB) em pacientes a partir de 20 anos de idade, residentes nas Regiões de Integração do estado do Pará, no período de 2005 a 2014.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Estudo ecológico com base em dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará. As variáveis analisadas foram: sexo, raça/cor, idade, escolaridade, formas de TB, vulnerabilidade, uso de álcool, comorbidades, coinfecção pelo HIV e Região de Integração de residência.

RESULTADOS:

Foram estudados 35.926 casos na faixa etária a partir de 20 anos. A média de idade foi de 41,3 (±0,9) anos, com maior ocorrência em pessoas do sexo masculino (63,1%) e cor parda (71,5%). Houve predomínio do ensino fundamental, exceto na Região Metropolitana. Dentre as formas de TB, predominou a pulmonar (87,3%). Entre os institucionalizados, a maior incidência foi na população carcerária (47,4%). O uso de álcool (38,6%) foi superior à presença de diabetes (28,0%), coinfecção pelo HIV (27,0%) e doença mental (6,4%), com maior registro na Região Xingu (79,9%). Observa-se uma convergência da incidência de TB e da proporção da coinfecção TB/HIV.

CONCLUSÃO:

Embora o Ministério da Saúde disponibilize esquemas terapêuticos eficazes para o tratamento da TB, os aspectos epidemiológicos analisados evidenciam que fatores, como os hábitos de vida, as comorbidades, a coinfecção pelo HIV, a baixa escolaridade e outros, contribuem para a manutenção da elevada incidência dessa doença no estado do Pará.

Palavras-chave : Tuberculose; Institucionalização; Coinfecção por HIV; Epidemiologia; Estudos Ecológicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )