SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número4Heterogeneidade e viés de publicação em revisões sistemáticas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Epidemiologia e Serviços de Saúde

versão impressa ISSN 1679-4974versão On-line ISSN 2337-9622

Epidemiol. Serv. Saúde v.23 n.4 Brasília dez. 2014

 

http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742014000400022

CARTA

 

Impacto da vacinação contra influenza em idosos no Brasil

 

Impact of influenza vaccination in the elderly population in Brazil

 

 

Alana Patrício Stols CruzetaI,II; Ione Jayce Ceola SchneiderIII; Jefferson TraebertII

ICurso de Graduação em Enfermagem, Centro Universitário Barriga Verde, Orleans-SC, Brasil
IIPrograma de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão-SC, Brasil
IIIPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, Brasil

Endereço para correspondência

 

 

Sra. Editora,

Gostaríamos de tecer alguns comentários sobre importante artigo recentemente publicado nesse periódico. Trata-se de estudo de Daufenbach e colaboradores,1 sobre o impacto da vacinação contra a influenza na morbidade hospitalar por causas relacionadas à influenza em idosos no Brasil.

Primeiramente, parabenizamos os autores pela iniciativa da pesquisa, e à revista Epidemiologia e Serviços de Saúde por publicá-la. Consideramos essencial o monitoramento da efetividade e da confiabilidade das campanhas anuais de vacinação contra a influenza.

Realizamos estudo semelhante no estado de Santa Catarina, sobre o período compreendido entre os anos de 1995 e 2009, publicado recentemente.2 Observamos que 21% das internações de indivíduos com 60 ou mais anos de idade em Santa Catarina estavam relacionadas à influenza. Nossos achados corroboram os de Daufenbach e cols.,1 já que a variável 'primeiro trimestre', correspondente aos meses do verão, fez diminuir 5,73%, em média, as taxas de hospitalizações, e o efeito do 'terceiro trimestre', correspondente ao inverno no sul do país, foi de um aumento de 8,75%, em média, das mesmas taxas. Nosso estudo também apontou diminuição anual de 1,2% nos coeficientes de hospitalização após a introdução das campanhas de vacina contra influenza. Ademais, o início da campanha exerceu um efeito positivo de 18,4% na diminuição do coeficiente de internação.

Sabe-se que diversos fatores podem alterar os dados positivos mostrados nos dois estudos, como por exemplo, a semelhança entre as cepas da vacina com os vírus circulantes, o acesso e a adesão dos idosos à vacinação. Porém, tendo em vista que a campanha de vacinação do Ministério da Saúde pode ser considerada uma estratégia recente, há muito que comemorar.

 

Referências

1. Daufenbach LZ, Duarte EC, Carmo EH, Campagna AS, Santos CAS. Impacto da vacinação contra a influenza na morbidade hospitalar por causas relacionadas à influenza em idosos no Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2014 mar;23(1):9-20.

2. Cruzeta APS, Schneider IJC, Traebert J. Impact of seasonality and annual immunization of elderly people upon influenza-related hospitalization rates. Int J Infect Dis. 2013 Dec;17(12):1194-7.

 

 

Endereço para correspondência:
Jefferson Traebert
- Av. José Acácio Moreira, no 787,
Dehon, Tubarão-SC, Brasil.
CEP: 88704-900
E-mail: jefferson.traebert@unisul.br