SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número1O suporte ventilatório no tratamento da Influenza A H1N1 em Unidade de Terapia IntensivaDoença de Chagas congênita por infecção aguda maternal por Trypanosoma cruzi transmitida via oral índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão On-line ISSN 2176-6223

Rev Pan-Amaz Saude v.2 n.1 Ananindeua mar. 2011

http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232011000100011 

COMUNICAÇÃO | COMMUNICATION | COMUNICACIÓN

 

Primeiro registro de Lutzomyia (Nyssomyia) yuilli yuilli Young & Porter, 1972 (Diptera: Psychodidae) no Estado de Roraima, Brasil

 

First report of Lutzomyia (Nyssomyia) yuilli yuilli Young & Porter, 1972 (Diptera: Psychodidae) in Roraima State, Brazil

 

Primer registro de Lutzomyia (Nyssomyia) yuilli yuilli Young & Porter, 1972 (Díptera: Psychodidae) en el Estado de Roraima, Brasil

 

 

Jaime de Liege Gama NetoI; Janderson Melo BaimaII; Mahedy Araujo Bastos PassosIII

IMuseu Integrado de Roraima, Universidade Estadual de Roraima, Roraima, Brasil
IIMuseu Integrado de Roraima, Boa Vista, Roraima, Brasil
IIICoordenação de Pesquisas em Botânica, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, Amazonas, Brasil

Endereço para correspondência
Correspondence
Dirección para correspondencia

 

 


RESUMO

Registra-se pela primeira vez o encontro de Lutzomyia (Nyssomyia) yuilli yuilli Young & Porter, 1972 (Diptera: Psychodidae) no Estado de Roraima, Brasil. Os espécimes foram capturados na área indígena de Auaris, na fronteira com a Venezuela, usando-se armadilhas luminosas tipo CDC instaladas em galinheiros, entre 18 h e 6 h. L. yuilli yuilli é a única espécie vetora de Leishmania sp conhecida até o momento em Auaris e pode estar envolvida na transmissão de Leishmania sp a humanos naquela região.

Palavras-chave: Psychodidae; Insetos Vetores; Vigilância Epidemiológica; População Indígena; Leishmania.


ABSTRACT

The first report of Lutzomyia (Nyssomyia) yuilli yuilli Young & Porter, 1972 (Diptera: Psychodidae) in Roraima State, Brazil is presented. The specimens were captured in the Auaris indigenous community, on the border with Venezuela, with CDC light traps set up in henhouses between 18 h and 6 h. L. yuilli yuilli is the only vector of Leishmania spp. currently known in Auaris and may be involved in the transmission of Leishmania spp. to humans in the area.

Keywords: Psychodidae; Insect Vectors; Epidemiological Surveillance; Indigenous Population; Leishmania.


RESUMEN

Se registra por vez primera el hallazgo de Lutzomyia (Nyssomyia) yuilli yuilli Young & Porter, 1972 (Díptera: Psychodidae) en el Estado de Roraima, Brasil. Los especímenes fueron capturados en el área indígena de Auaris, en la frontera con Venezuela, siendo usadas trampas luminosas tipo CDC instaladas en gallineros, entre 18 h y 6 h. L. yuilli yuilli es la única especie vector de Leishmania sp conocida hasta el momento en Auaris y puede estar involucrada en la transmisión de Leishmania sp a humanos en dicha región.

Palabras claves: Psychodidae; Insectos Vectores; Vigilancia Epidemiológica: Población Indígena; Leishmania.


 

 

Os flebotomíneos do gênero Lutzomyia França, 1924 apresentam importância médica pelo fato de várias das suas espécies serem vetoras de parasitos do gênero Leishmania Ross, 1903, agente etiológico das leishmanioses humanas no Novo Mundo1.

Apesar da importância do conhecimento da fauna de flebotomíneos para o planejamento e desenvolvimento das ações de vigilância e controle das leishmanioses, os estudos sobre a distribuição geográfica e identificação das espécies vetoras de Leishmania são escassos no Estado de Roraima, principalmente nas áreas indígenas, destacando-se apenas os estudos de Guerra et al2, sobre a presença de Lutzomyia longipalpis Lutz & Neiva, 1912 na reserva indígena Raposa Serra do Sol.

A região de Auaris, toda coberta por floresta tropical densa, situa-se no extremo norte do Brasil, no Município de Amajari, Estado de Roraima (4o 00' 10" N 64o 29' 21" W). Está inserida dentro do complexo de montanhas das serras Parima e Pacaraima, que delimita as bacias do Orinoco e do Amazonas e, portanto, a fronteira entre Brasil e Venezuela3. São escassas as oportunidades de acesso a essa região, e não há informações sobre as espécies de Leishmania e de flebotomíneos ali.

De acordo com informações da Fundação Nacional de Saúde, Regional Roraima (FUNASA/RR), Auaris apresenta uma população de 1.953 índios Yanomami residentes em 30 comunidades, sendo uma região endêmica para leishmaniose tegumentar americana (LTA).

Os flebotomíneos foram capturados por técnicos da FUNASA/RR em março de 2009, usando-se armadilhas luminosas tipo CDC, instaladas em galinheiros, e que funcionaram durante cinco dias consecutivos, no intervalo de tempo compreendido entre as 18 h e as 6 h do dia posterior, no ambiente peridomiciliar.

O material capturado foi identificado de acordo com a classificação proposta por Young e Duncan4 e encontra-se depositado na coleção de invertebrados do Museu Integrado de Roraima - MIRR.

Obtiveram-se 23 espécimes de Lutzomyia, dentre os quais foram identificadas três fêmeas de L. yuilli yuilli, uma espécie antropofílica incluída dentro do subgênero Nyssomyia, o qual abriga várias espécies comprovadamente vetoras de Leishmania sp a humanos. Os demais espécimes distribuíam-se entre as espécies L. aragaoi Costa Lima, 1932; L. dendrophyla Mangabeira, 1942 e L. rorotaensis Floch & Abonnenc, 1944.

L. yuilli yuilli é uma espécie de hábitos semidomésticos, com distribuição conhecida para o Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela5,6,4, sendo encontrada nos troncos, raízes tabulares e copas das árvores, áreas marginais às florestas e anexos de animais domésticos7.

Na Colômbia, a L. yuilli yuilli apresenta reconhecida importância médica como vetora de Leishmania a humanos, tendo sido encontrada naturalmente infectada com Leishmania (Viannia) panamensis Lainson & Shaw, 19728.

No Brasil, a L. yuilli yuilli, que tem registros de ocorrência nos Estados do Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Rondônia e São Paulo9,10,4, tem sido frequentemente observada picando humanos, tanto em peri quanto em intradomicílio11 e já foi encontrada naturalmente infectada com flagelados semelhantes à Leishmania, porém não identificados12.

Na Bahia, espécimes de L. yuilli yuilli da região de Três Braços, onde a espécie é muito comum, foram experimentalmente infectados por Leishmania (Leishmania) foratinni Yoshida et al, 1993, um parasita encontrado nos Estados de São Paulo, Bahia e Espírito Santo13. Lainson e Shaw1 alertam que, mesmo não havendo registro de infecções humanas causadas por L.(L.) foratinni, ocasionalmente L. yuilli yuilli se alimenta em humanos e, se esta espécie for realmente o vetor de L. foratinni entre os reservatórios silvestres, a infecção humana pode ocorrer.

Dessa forma, dado o total desconhecimento sobre as espécies de Leishmania e de flebotomíneos que participam do ciclo de transmissão da LTA em Auaris, e o fato da L. yuilli yuilli ser a única espécie vetora conhecida nessa área indígena até o momento, consideramos importante o registro do encontro da espécie em Auaris, recomendando-se estudos adicionais a fim de que se verifique a taxa de infecção natural da L. yuilli yuilli por Leishmania spp e se determine a possível participação dessa espécie de flebotomíneo na epidemiologia da LTA naquela região.

O encontro da L. yuilli yuilli em Auaris amplia a distribuição geográfica da espécie e eleva para 79 o número de espécies de Lutzomyia com registro de ocorrência no Estado de Roraima.

 

REFERÊNCIAS

1 Lainson R, Shaw JJ. New World leishmaniasis. In: Cox FEG, Kreier JP, Wakelin D, editors. Microbiology and Microbial Infections, Parasitology. London: Topley & Wilson's. 2005. p. 313-49.

2 Guerra JAO, Barros MLB, Fé NF, Guerra MVF, Castellon E, Paes MG, et al. Leishmaniose visceral entre indios no Estado de Roraima, Brasil. Aspectos clínicoepidemiológicos de casos observados no periodo de 1989 a 1993. Rev Soc Bras Med Trop. 2004 jul-ago;37(4):305-11. Doi:10.1590/S0037-86822004000400004  [Link]

3 Le Tourneau FM. Stratégies territoriales amérindiennes dans un contexte pluri-ethnique: la région de Auaris (Roraima). Revue Franco-Brésiliennse de Géographie [internet] 2008 [cited 2011 Feb 02];3:1-20. Available at: http://confins.revues.org/index2753.html

4 Young DG, Duncan M. Guide to identification and geographic distribution of Lutzomyia sandflies in Mexico, the West Indies, Central and South America (Diptera: Psychodidae). Mem Amer Ent Inst. 1994;54:88.

5 Sandoval CM, Gutiérrez R, Cárdenas R, Ferro C. Especies de género Lutzomyia (Psychodidae, Phlebotominae) en áreas de transmisión de leishmaniasis tegumentaria y visceral en el departamento de Santander, en la cordillera oriental de los Andes colombianos. Biomédica. 2006;26 (Suppl 1):S218-S27. [Link]

6 Vergara D, Carrillo LM, Bejarano EE, Vélez ID. Primer informe de Lutzomyia yuilli Young & Porter, 1972 y Lutzomyia triramula (Fairchild & Hertig 952) (Diptera: Psychodidae) en el departamento de Caldas, Colômbia. Biota Neotrop [serial on the internet]. 2008 [cited 2011 Feb 02];8(3):251-3. Available from: http://www.biotaneotropica.org.br/v8n3/es/abstract?short-communication+bn00708032008.

7 Aguiar GM, Medeiros WM. Distribuição regional e habitats das espécies de flebotomíneos do Brasil. In: Rangel EF, Lainson R, editores. Flebotomíneos do Brasil. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 2003. p. 207-55.

8 Santamaría E, Ponce N, Zipa Y, Ferro C. Presencia en el peridomicilio de vectores infectados con Leishmania (Viannia) panamensis en dos focos endémicos en el occidente de Boyacá, piedemonte del valle del Magdalena medio, Colombia. Biomédica. 2006 oct;26 (Suppl 1):S82-S94. [Link]

9 Missawa NA, Maciel GB. List of species in the genus Lutzomyia, França, 1924 (Psychodidae, Phlebotominae) from the State of Mato Grosso. Rev Soc Bras Med Trop. 2007 Jan-Feb;40:1-14. Doi:10.1590/S0037-86822007000100002 [Link]

10 Pinto IS, Pires JG, Santos CB, Virgens TM, Leite GR, Ferreira AL, et al. Primeiro registro de Nyssomyia yuilli yuilli (Young & Porter) e de Trichopygomyia longispina (Mangabeira) (Diptera: Psychodidae) no estado do Espírito Santo, Brasil. Biota Neotrop [Internet]. 2008 jan-mar [citado 2009 jun 20];8(1):221-3 http://www.biotaneotropica.org.br/v8n1/pt/abstract?short-communication+bn00708012008.

11 Barreto M, Burbano ME, Barreto P. Lutzomyia Sand Flies (Diptera: Psychodidae) from Middle and Lower Putumayo Department, Colombia, with New Records to the Country. Mem Inst Oswaldo Cruz. 2000;95(5):633-9. Doi:10.1590/S0074-02762000000500009 [Link]

12 Arias JR, Miles MA, Naiff RD, Póvoa MM, Freitas RA, Biancardi CB, et al. Flagellate infections of brazilian sand flies (Diptera: Psychodidae): isolation in vitro and biochemical identification of Endotrypanum and Leishmania. Am J Trop Med Hyg. 1985 Nov;34:1098-1108. [Link]

13 Barretto AC, Peterson NE, Lago E, Rosa ACOC, Braga RSM, Cuba CAC, et al. Leishmania mexicana in Proechimys iheringi denigratus Moojen (Rodentia, Echimyidae) in a region endemic for American cutaneous leishmaniasis. Rev Soc Bras Med Trop. 1985 Oct-Dec;18(4):243-6. [Link]

 

 

Correspondência /Correspondence / Correspondencia:
Jaime de Liege Gama Neto
Universidade Estadual de Roraima
Coordenação de Ciências Biológicas e da Saúde
Rua sete de Setembro, n° 231, Bairro: Canarinho
CEP:69306-530
Boa Vista - Roraima - Brasil

Tel:.+55 (95) 2121-0928
E-mail:jaimebio@hotmail.com

Recebido em / Received / Recibido en: 27/4/2011
Aceito em / Accepted / Aceito en: 4/5/2011