SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número2Variação mensal e infecção natural em Lutzomyia umbratilis Ward & Fraiha, 1977, Lutzomyia anduzei Rozeboom, 1942, Lutzomyia flaviscutellata Mangabeira, 1942 e Lutzomyia olmeca nociva Young & Arias, 1982 (Diptera: Psychodidae) por tripanosomatídeos (Kinetoplastida: Trypanosomatidae) em área de treinamento militar na Amazônia, Amazonas, BrasilCaracterização molecular de Leishmania sp. (Kinetoplastida: Trypanosomatidae) proveniente de casos de leishmaniose cutânea dos Municípios de Rio Preto da Eva e Manaus, Estado do Amazonas, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão impressa ISSN 2176-6223versão On-line ISSN 2176-6223

Rev Pan-Amaz Saude v.2 n.2 Ananindeua jun. 2011

http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232011000200012 

RESUMO DE TESE E DISSERTAÇÃO | SUMMARY OF THESIS AND DISSERTATION | RESUMEN DE TESIS Y DISERTACIÓN

 

Distribuição, diversidade e biologia de flebotomíneos (Diptera: Psychodidae: Phlebotominae) da área do campus da Universidade Federal do Amazonas, Manaus, Estado do Amazonas, Brasil*

 

Distribution, diversity and biology of sand flies (Diptera: Psychodidae: Phlebotominae) from the campus of the Federal University of Amazonas, Manaus-AM, Brazil

 

Distribución, diversidad y biología de los flebótomos (Diptera: Psychodidae: Phlebotominae) del campus de la Universidad Federal de Amazonas, Manaus-AM, Brasil

 

 

Liliane Coelho da Rocha NeryI; Antonia Maria Ramos FrancoII

IPrograma de Pós-Graduação em Entomologia, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, Amazonas, Brasil
IILaboratório de Leishmaniose e Doença de Chagas, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Amazonas, Brasil

Endereço para correspondência
Correspondence
Dirección para correspondencia

 

 


INTRODUÇÃO: A Universidade Federal do Amazonas (UFAM) situa-se numa área com cerca de 800 HA de floresta de terra firme e é considerada como o segundo maior fragmento florestal urbano do Brasil; localiza-se na capital do Estado do Amazonas e foi selecionada para a realização do levantamento da fauna de flebotomíneos devido à circulação humana e de animais e, também, por ser considerada uma das maiores áreas verdes urbanas tropicais.
OBJETIVO: Este estudo teve como objetivo investigar: (i) a distribuição vertical dos flebotomíneos; (ii) sua diversidade; (iii) a infecção natural por tripanossomatídeos e a fonte alimentar destes insetos.
MATERIAIS E MÉTODOS: Os insetos foram capturados no período de março a outubro de 2002, utilizando-se três metodologias: armadilha luminosa do tipo CDC, dispostas em três alturas (5, 10 e 15 m); armadilhas com isca animal do tipo Disney; e coleta em base de árvore. A diversidade de espécies foi calculada através do índice de Fisher-Williams (Southwood, 1980), a = S - 1/Ln.N, com a representando índice de diversidade, S o número de espécies e N o número total de indivíduos. A taxa de infecção natural foi calculada pela razão entre o número de fêmeas positivas para flagelados pelo número total de fêmeas dissecadas. A preferência alimentar dos insetos foi determinada pelo método de precipitina.
RESULTADOS: Foram identificadas 41 espécies do gênero Lutzomyia dos 4.662 espécimes coletados. O índice de diversidade da fauna de flebotomíneos foi de 6,4, ficando entre os valores comumente observados para a ocorrência desses insetos em áreas de floresta contínua na Região Amazônica. Observou-se a menos de 5 m de altura do solo maior abundância e riqueza de espécies desses insetos, principalmente para Lutzomyia umbratilis, a mais representativa, seguida por L. anduzei e L. claustrei. Das 58 fêmeas de L. umbratilis dissecadas, 8,6% apresentaram flagelados no trato digestório e sangue em processo de digestão. L. umbratilis, espécie considerada como o principal vetor do agente etiológico da leishmaniose nesta região, apresentou preferência pelo sangue de roedores, ao contrário do observado na literatura.
CONCLUSÃO: A mata da Universidade Federal do Amazonas, apesar de ser um fragmento florestal urbano, apresenta grande semelhança com áreas de floresta primária em relação à ocorrência de espécies de flebotomíneos, nos aspectos de riqueza e diversidade de espécies. A espécie mais abundante foi L. umbratilis, que esteve presente nos três estratos e foi mais frequente a 15 m de altura. As espécies encontradas naturalmente infectadas por tripanossomatídeos foram: L. umbratilis, com uma taxa de infecção de 8,6%; L. rorotaensis, com 4,5%, e L. spathotrichia, com 50%. A oportunidade de oferta de alimento neste fragmento florestal pode estar influenciando o comportamento dos flebotomíneos, como L. umbratilis.

Palavras-chave: Psychodidae; Insetos Vetores; Comportamento Alimentar; Reservas Naturais.


 

Apoio financeiro: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoas de Nível Superior, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e Programa Norte de Pesquisa e Pós-Graduação.

 

 

Correspondência/Correspondência /Correspondence:
Antónia Maria Ramos Franco
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/INPA,
Laboratório de Leishmaniose e doença de Chagas/CPCS
Av.  André Araújo, n°  2936, Bairro: Aleixo
CEP:69060-001
Manaus - Amazonas - Brasil
Tel: +55 (92) 3643-3377
E-mail:afranco@inpa.gov.br; lilianen@inpa.gov.br

Recebido em / Received / Recibido en: 25/8/2010
Aceito em / Accepted / Aceito en: 30/5/2011

 

 

*Resumo de dissertação apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Entomologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e Universidade Federal do Amazonas (INPA/UFAM), sob orientação da Dra. Antonia Maria Ramos Franco para obtenção do título de Mestre em Entomologia em 22 de junho de 2003. Manaus, Amazonas, Brasil.