SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número1Independência funcional em indivíduos com paralisia cerebral associada à deficiência intelectualAvaliação do conhecimento, atitudes e práticas sobre dengue no Município de Pedro Canário, Estado do Espírito Santo, Brasil, 2009: um perfil ainda atual índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão On-line ISSN 2176-6223

Rev Pan-Amaz Saude v.3 n.1 Ananindeua mar. 2012

http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232012000100005 

ARTIGO ORIGINAL | ORIGINAL ARTICLE | ARTÍCULO ORIGINAL

 

Soroprevalência da infecção por Helicobacter pylori em uma amostra rural do Estado do Amazonas, Brasil

 

Seroprevalence of Helicobacter pylori infection in individuals from a rural area of Amazonas State, Brazil

 

Seroprevalencia de la infección por Helicobacter pylori en una muestra rural del Estado de Amazonas, Brasil

 

 

José Dobles Dias dos Reis JúniorI; Alana Batista FernandesI; Francenilton Sampaio dos SantosI; Jonilson Heslei Guimarães SilvaI; Rosane Pompeu de LoiolaII; Jocilene Guimarães SilvaI; José Odair PereiraIII

IInstituto de Saúde e Biotecnologia Campus Médio Solimões, Universidade Federal do Amazonas, Coari, Amazonas, Brasil
IILaboratório de Imunogenética, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, Brasil
IIIUniversidade Federal do Amazonas, Manaus, Amazonas, Brasil

Endereço para correspondência
Correspondence
Dirección para correspondencia

 

 


RESUMO

O objetivo do estudo foi determinar a soroprevalência da infecção pela bactéria Helicobacter pylori. Foram analisados 100 indivíduos residentes na área rural do Itapeuá, no Município de Coari, Estado do Amazonas, Brasil. Foi encontrada uma soroprevalência de 82% na população estudada, sendo que as taxas de infecção registradas entre crianças e adolescentes foram maiores do que as encontradas entre os adultos e idosos, com percentuais de 53% (44/82) e 47% (39/82), respectivamente. A estratificação da população em intervalos etários de dez anos demonstrou um maior número de indivíduos na população, e alto nível de infecção na faixa etária de 11 a 20 anos, com 31 representantes entre os 100 indivíduos, dos quais 90% (28/31) estavam infectados, obtendo-se estatística significativa para essa associação, (Teste-G = 16.9312, p = 0.0095), assim como um predomínio de infecção entre os indivíduos adultos do sexo masculino e entre as crianças do sexo feminino (Teste-G = 9.8576, p = 0.0072), evidenciando que os indivíduos desta faixa etária estão mais suscetíveis a esta infecção bacteriana.

Palavras-chave: Helicobacter pylori; População Rural; Soroprevalência.


ABSTRACT

The objective of this study was to determine the seroprevalence of Helicobacter pylori infection in Itapeuá, Municipality of Coari, in the rural area of Amazonas State, Brazil. A seroprevalence of 82% was observed in a sample of 100 individuals examined. The infection rate verified in children and adolescents (53%; 44/82) was higher than in adults and elderly (47%; 39/82). Stratified sampling of the population in age intervals of ten years showed that the age group 11-20 presented the highest frequency level (31%) and the highest infection rate (90%; 28/31). This association was relevant (G-test = 16.9312, p = 0.0095), and the prevalence of infection among male adults and female children (G-test = 9.8576, p = 0.0072) showed that individuals in these age groups are more susceptible to this bacterial infection.

Keywords: Helicobacter pylori; Rural Population; Seroprevalence.


RESUMEN

El objetivo del estudio fue de determinar la seroprevalencia de la infección por la bacteria Helicobacter pylori. Se analizaron 100 individuos residentes en el área rural de Itapeuá, en el Municipio de Coari, Estado de Amazonas, Brasil. Se halló una seroprevalencia de 82% en la población estudiada, siendo que las tasas de infección registradas entre niños y adolescentes fueron mayores que las encontradas entre los adultos y ancianos, con porcentajes de 53% (44/82) y 47% (39/82), respectivamente. La estratificación de la población en intervalos de edad de dez años demostró un mayor número de individuos entre la población, y alto nivel de infección en la franja etaria de 11 a 20 años, con 31 representantes entre los 100 individuos, de lo cuales, 90% (28/31) estaba infectado, obteniéndose estadística significativa para esa asociación, (Prueba G = 16.9312, p = 0.0095), así como un predominio de infección entre los individuos adultos de sexo masculino y entre los niños de sexo femenino (Prueba G = 9.8576, p = 0.0072), evidenciando que los individuos de esta franja etaria están más susceptibles a esta infección bacteriana.

Palabras clave: Helicobacter pylori; Población Rural; Seroprevalencia.


 

 

INTRODUÇÃO

A Helicobacter pylori é um bacilo gram-negativo com sistemas bem desenvolvidos que asseguram sua adaptação e sobrevivência no ambiente ácido e hostil do estômago humano1,2. Este microrganismo está associado ao desenvolvimento de patologias gástricas, como a úlcera péptica, adenocarcinoma gástrico e linfoma de Malt3,4,5. Os sintomas clínicos são diagnosticados em indivíduos adultos. Pressupõe-se que a infecção inicia-se principalmente na infância, podendo o bacilo residir por vários anos no hospedeiro até evoluir para quadros mais graves2,5.

Quando um indivíduo adquire a bactéria H. pylori, a princípio ocorre geralmente uma resposta imunológica estável, na qual se observa a presença de anticorpos específicos do tipo IgG, amplamente utilizados para detectar a infecção6. Segundo a literatura, vários testes sorológicos são utilizados para diagnosticar a prevalência da infecção deste microrganismo. Devido à sensibilidade e especificidade desses testes, a precisão dos resultados atinge níveis bastante altos, que podem chegar a quase 100%, razão pela qual esses testes são amplamente utilizados na determinação da prevalência bacteriana em diversas populações7.

Epidemiologicamente, a infecção por H. pylori tem uma ocorrência diferenciada em regiões geográficas distintas e os testes têm sido fundamentais para a determinação da prevalência em diferentes países, desenvolvidos (baixa prevalência) ou em desenvolvimento (alta prevalência)8. As maiores taxas de infecção por H. pylori são encontradas em populações de baixo poder socioeconômico. Estes tipos de estudos epidemiológicos sobre a H. pylori realizados no Brasil são poucos e limitam-se a determinadas regiões9,10. Uma vez que pesquisas são escassas sobre a importância etiológica deste microrganismo, o objetivo deste estudo foi de investigar a soroprevalência da infecção por H. pylori, mediante a análise sorológica da resposta imunológica humoral do tipo IgG em indivíduos rurais do Município de Coari, no Estado do Amazonas.

 

MATERIAIS E MÉTODOS

O estudo foi realizado no período de agosto de 2010 a julho de 2011, compreendendo uma amostra de 100 indivíduos, moradores da comunidade rural do Itapeuá, do Município de Coari, no Médio Solimões, no Estado do Amazonas.

Todos os participantes, por si ou por seus pais ou responsáveis, assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, conforme rege a Resolução n. 196/96, do Conselho Nacional de Saúde. Este estudo possui o parecer do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), aprovado em 14 de outubro de 2009, conforme Certificado de Apresentação para Apreciação Ética (CAAE) 0282011500009.

O levantamento dos dados foi feito por meio da aplicação, pelo entrevistador da pesquisa, de um questionário epidemiológico com questões dirigidas à identificação, condições socioeconômicas, higiênicas, sanitárias e sintomatologia apresentada pelos participantes.

A equipe de pesquisadores realizou visitas domiciliares à comunidade rural para coleta do material. As amostras biológicas de sangue foram coletadas via punção venosa periférica. O sangue total foi centrifugado a 3.000 rpm durante 20 min, e o soro foi separado e estocado a -20o C. Estes procedimentos foram estabelecidos pelo Laboratório de Biologia Molecular de Agentes Infecciosos e Parasitários do Instituto de Saúde e Biotecnologia da UFAM e de acordo com as normas de biossegurança determinadas pelo Ministério da Saúde.

A dosagem sorológica foi realizada por meio de anticorpos sistêmicos do tipo IgG anti-H. pylori específicos por meio de um ensaio imunoenzimático, usando o kit RIDASCREEN Helicobacter IgG (R-Biopharm AG, Alemanha), cuja especificidade e sensibilidade atingem níveis de 98%.

Os dados obtidos no inquérito sorológico foram analisados utilizando o programa BioEstat 5.0, adequado para detectar ou não as diferenças entre as proporções amostrais entre os grupos objeto de estudo prospectivo, com significância estatística aceita ao nível de 95% (p < 0.05).

 

RESULTADOS

Os resultados obtidos para análise sorológica revelaram uma prevalência de 82% (82/100) de presença de anticorpos do tipo IgG para a infecção por H. pylori na população estudada.

Em relação à idade, a população estudada foi classificada em duas faixas etárias, com intervalos de idade de 0 a 17 anos para crianças e adolescentes e 18 a 72 anos para adultos e idosos, sendo observado que, dos 100 indivíduos pesquisados, 55% (55/100) eram crianças e adolescentes e 45% (45/100) eram adultos e idosos. Quando se correlacionou a infecção bacteriana com as faixas etárias, obteve-se um percentual maior de infecção entre as crianças e adolescentes do que entre os adultos, com índices de 53% (44/82) e 47% (39/82), respectivamente (representados na tabela 1), porém estatísticas significativas não foram encontradas.

 

 

A população estudada também foi estratificada em intervalos de classe de dez anos, e está representada na tabela 2, onde é observado que 31 indivíduos estavam na faixa etária de 11 a 20 anos, entre estes 90% (28/31) estavam infectados pela H. pylori, sendo observada estatística significativa para essa relação, com Teste-G = 16.9312, p = 0.0095.

 

 

A classificação da população analisada por sexo está representada na tabela 3, sendo observado um predomínio de indivíduos do sexo feminino 67% (67/100), com percentual de soropositividade de 88% (59/67). Quando relacionada à soropositividade para a infecção bacteriana com o sexo e os grupos etários, observa-se um predomínio de infecção entre os indivíduos adultos do sexo masculino e entre as crianças e adolescentes do sexo feminino. Estatísticas significativas foram observadas quando relacionadas a infecção com crianças e adolescentes, tanto do sexo masculino quanto do feminino (Teste-G = 9.8576, p = 0.0017).

 

 

DISCUSSÃO

Muitos estudos epidemiológicos têm sido realizados com a finalidade de verificar a prevalência da infecção por H. pylori em regiões urbanas do sudeste do país3, porém não se tem dados sobre pesquisas realizadas em populações rurais da Região Amazônica11,12, o que inviabiliza a possibilidade de traçar um real perfil epidemiológico desta infecção, de distribuição universal, nesta Região. Este estudo é pioneiro, pois, e revela uma elevada taxa de infecção, dado que poderá ser utilizado em pesquisas futuras.

Apesar da infecção por H. pylori poder ser adquirida em qualquer idade, constata-se que na infância, principalmente nos dez primeiros anos de vida, ocorre a fase crucial de aquisição. Dessa maneira, a taxa de 53% de infecção obtida para o intervalo etário de 0 a17 anos, está de acordo com relatos de estudos epidemiológicos, que obtiveram taxas de 47,5% em indivíduos com 6 meses a 10 anos de idade e 62% em indivíduos com 11 a 20 anos de idade10,13,14. Dados da literatura, que corroboram os resultados obtidos, demonstram que na infância ocorre um rápido aumento da taxa de prevalência. É importante ressaltar que ocorre um decréscimo lento de títulos de anticorpos após a perda da infecção, quer seja espontânea ou após tratamento3,15, o que poderia explicar, em parte, a queda nos percentuais de soropositividade quando se estratificou a população estudada em intervalos de classe de dez anos, e observou-se um decréscimo conforme o aumento da idade. Estudos sugerem além disso que, em populações cujo nível socioeconômico é baixo, a aquisição deste patógeno pode ser mediada por higiene inadequada assim como pelo elevado número de indivíduos em cômodo domiciliar, o que, consequentemente, aumentaria o risco de infecção infantil. Esta situação foi observada em maior expressividade na comunidade rural estudada4.

O estudo revelou uma associação significativa entre a infecção e o sexo, obtendo-se uma frequência geral de infecção maior entre os indivíduos do sexo feminino. Quando relacionado o sexo com a faixa etária, observou-se que crianças do sexo feminino apresentaram maior percentual de positividade, embora dados literários estabeleçam que a infecção apresente-se virtualmente igual em ambos os sexos4,9,16. Os resultados obtidos podem ser explicados pela observação do estilo de vida das meninas, que, nesta população, lidam com os afazeres domésticos e com o cuidar de seus irmãos, o que lhes confere, possivelmente, aumento na exposição à contaminação.

 

CONCLUSÃO

O método imunoenzimático (ELISA) demonstrou ser o procedimento ideal para diagnosticar a presença da H. pylori em jovens e crianças, que não necessitam submeter-se à endoscopia, sendo amplamente indicado para estudos epidemiológicos, na avaliação da taxa de prevalência da infecção, principalmente no caso de indivíduos assintomáticos.

 

REFERÊNCIAS

1 Pacheco A. Prevalência de infecção por Helicobacter pylori em adolescentes com dor abdominal. Adolesc Saude. 2005;2(1):33-6. [Link]

2 Sousa MB, Luz LP, Moreira DM, Bacha OM, Chultz RM, Edelweiss MI. Prevalência de infecção por Helicobacter pylori em crianças avaliadas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS, Brasil. Arq Gastroenterol. 2001 abr-jun;38(2):132-7. [Link]

3 Agostinho Jr F. Soroprevalência e fatores de risco para infecção pelo Helicobacter pylori. J Pediatr (Rio J). 2003;79(1):3-4. [Link]

4 Shimoyama T, Crabtree JE. Bacterial factors and imunne pathogenesis in Helicobacter pylori infection. Gut. 1998;43 Suppl 1:S2-5. [Link]

5 Luscenti RS, Gatti LL. Diagnóstico molecular da infecção pelo Helicobacter pylori em mucosa gástrica. Rev Para Med. 2008 mar;22(1):21-6. [Link]

6 Torres J, Backert S. Pathogenesis of Helicobacter pylori infection. Helicobacter. 2008 Oct;13 Suppl 1:S13-7. DOI:10.1111/j.1523-5378.2008.00630.x [Link]

7 Bruce MG, Maaroos HI. Epidemiology of Helicobacter pylori infection. Helicobacter. 2008 Oct;13 Suppl 1:S1-6. DOI:10.1111/j.1523-5378.2008.00631.x [Link]

8 Granstrom M, Lehours P, Bengtsson C, Mégraud F. Diagnosis of Helicobacter pylori. Helicobacter. 2008 Oct;13 Suppl 1:S7-12. DOI:10.1111/j.1523-5378.2008.00637.x. [Link]

9 Guimarães J, Corvelo TC, Barile KA. Helicobacter pylori: fatores relacionados à sua patogênese. Rev Para Med. 2008 mar;22(1):33-8. [Link]

10 Oliveira AMR, Queiroz DMM, Rocha GA, Mendes EN. Seroprevalence of Helicobacter pylori infection in children of low socioeconomic level in Belo Horizonte, Brazil. Am J Gastroenterol.1994 Dec;89(12):2201-4. [Link]

11 Oliveira AMR, Rocha AG, Queiroz DMM, Barbosa MT, Silva SC. Prevalence of H. pylori infection in a population from the rural area of Araçuaí, MG, Brazil. Rev Microbiol. 1999;30(1):59-61. http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37141999000100012  [Link]

12 Souto FJD, Fontes CJF, Rocha GA, Oliveira AMR, Mendes EN, Queiroz DMM. Prevalence of Helicobacter pylori infection in a Rural Area of the State of Mato Grosso, Brazil. Mem Inst Oswaldo Cruz. 1998 Mar-Apr;93(2):171-4. http://dx.doi.org/10.1590/S0074-02761998000200006  [Link]

13 Platel P, Mendall MA, Khulusi S, Northfield TC, Strachan DP. Helicobacter pylori infection in children: risk factors and effect on growth. J Bras Med. 1994 Oct;309(6962):119-23. [Link]

14 Graham DY, Malaty HM, Evans DG, Evans DG Jr, Klein PD, Adam E. Epidemiology of Helicobacter pylori in an asymptomatic population in the United States. Effect of age, race and socio-economic status. Gastroenterology. 1991 Jun;100(6):495-501. [Link]

15 Portorreal A, Kawakami E. Avaliação do método imunoenzimático (ELISA) para diagnóstico da infecção por Helicobacter pylori em crianças e adolescentes. Arq Gastroenterol. 2002 jul-set;39(3):198-203. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032002000300011 [Link]

16 Kodaira MS, Escobar AMU, Grisi S. Aspectos epidemiológicos do Helicobacter pylori na infância e adolescência. Rev Saude Publica. 2002;36(3):356-69. [Link]

 

 

Correspondência / Correspondence / Correspondencia:
José Dobles Dias dos Reis Júnior
Rua 1o de maio, 110. Bairro: Tauá-Mirim
Coari-Amazonas-Brasil
Tel.: (97) 3561-2363 / 8108-8936
E-mail: dobles.jr@hotmail.com.br

Recebido em / Received / Recibido en: 15/5/2012
Aceito em / Accepted / Aceito en: 18/9/2012