SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número3Perfil de anticorpos anti-PGL-1 em indivíduos sadios de áreas endêmicas para a hanseníase do Estado do Pará, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Pan-Amazônica de Saúde

versão On-line ISSN 2176-6223

Rev Pan-Amaz Saude v.3 n.3 Ananindeua set. 2012

 

http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232012000300006

RESUMO DE TESE E DISSERTAÇÃO | SUMMARY OF THESIS AND DISSERTATION | RESUMEN DE TESIS Y DISERTACIÓN

 

Caracterização dos genes codificadores da hemaglutinina e polimerase básica 2 do vírus Influenza A (H1N1) pandêmico isolado na mesorregião metropolitana de Belém, Estado do Pará, Brasil*

 

Characterization of the gene encoding of hemagglutinin and polymerase basic 2 of pandemic Influenza A virus (H1N1) isolated in the metropolitan mesoregion of Belém, Pará State, Brazil

 

Caracterización de los genes codificadores de la hemaglutinina y la polimerasa básica 2 del virus Influenza A (H1N1) pandémico aislado en la mesorregión metropolitana de Belém, Estado de Pará, Brasil

 

 

Jessylene de Almeida Ferreira; Rita Catarina Medeiros Sousa; Wyller Alencar de Mello; Márcio Roberto Teixeira Nunes

Seção de Virologia, Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil 

Endereço para correspondência
Correspondence
Dirección para correspondencia

 

 


INTRODUÇÃO: A recente pandemia de gripe de 2009 e 2010 causada pelo vírus Influenza A (H1N1) pandêmico (pdm) mostrou um perfil de gravidade diferente da gripe sazonal, pois um percentual considerável de casos graves e fatais ocorreu em indivíduos adultos jovens, sem comorbidade. A virulência do vírus H1N1 pdm resulta de interações proteicas complexas e depende essencialmente de alguns genes virais.
OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi caracterizar os genes codificadores da hemaglutinina subtipo 1 (H1) e polimerase básica 2 (PB2) do vírus H1N1 pdm mediante a obtenção de cepas provenientes de pacientes com gripe procedente da mesorregião metropolitana de Belém, Estado do Pará, Brasil.
MATERIAIS E MÉTODOS: O tamanho amostral foi constituído de 87 amostras aleatórias de pessoas de ambos os sexos, com idade de 0 a 96 anos, com síndrome respiratória aguda grave, sem nenhuma comorbidade relatada, no período de maio de 2009 a agosto de 2010. As amostras foram isoladas em cultura de célula MDCK e analisadas por técnicas de biologia molecular que compreenderam três etapas principais: a) extração do RNA viral (RNAv), a partir do sobrenadante celular; b) amplificação do RNAv pela técnica de reação em cadeia mediada pela polimerase precedida de transcrição reversa (RT-PCR); c) sequenciamento completo dos genes codificadores da H1 e PB2. O presente estudo foi apreciado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Instituto Evandro Chagas, no 0027/2008, aprovado em 24 de novembro de 2011.
RESULTADOS: Das 87 cepas amplificadas pelo RT-PCR, em 82 tornou-se possível a obtenção e análise de sequências para o gene H1, enquanto que de 81 amostras virais foram obtidas sequências para o gene PB2. A análise comparativa das sequências adquiridas com a sequência da cepa vacinal (A/California/07/2009(H1N1)) revelou substituições aminoacídicas na H1 (P83S; D97N; S203T; D222G; Q293H e I321V) e na PB2 (K340N; K526R e M631L), no entanto sem associação à hospitalização. Na substituição da H1, a D97N isolada ou associada à S203T, foi detectada com mais frequência na primeira onda. Em relação ao nível da PB2, a substituição K526R também foi
encontrada em cepas que circularam na primeira onda, enquanto que a M631L tornou-se mais evidente na segunda. A substituição D222G na H1 só foi encontrada em casos de óbitos. Por fim, observou-se uma tendência de alterações nos sítios antigênicos da H1.
CONCLUSÃO: Sendo assim, a contínua vigilância genética e antigênica do H1N1 pdm em circulação, bem como o compartilhamento de informações, são de extrema importância para a melhor composição vacinal, evitando assim maior risco de epidemias severas no futuro.

Palavras-chave: Influenza Humana; Vírus Influenza A subtipo H1N1; Hemaglutininas Virais.


 

Apoio Financeiro: Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa.

 

 

Correspondência / Correspondence / Correspondencia:
Jessylene de Almeida Ferreira
Seção de Virologia,
Instituto Evandro Chagas/SVS/MS
Rodovia BR 316, km 7, s/no.
Bairro: Levilândia CEP: 67030-000
Ananindeua-Pará-Brasil
Tel.: +55 (91) 3214-2024
E-mail: ¡essyleneferreira@iec.pa.gov.br

Recebido em / Received / Recibido en: 15/5/2012
Aceito em / Accepted / Aceito en: 28/8/2012

 

 

*Resumo de dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Doenças Tropicais da Universidade Federal do Pará, sob orientação do prof. dr. Marcio Roberto Teixeira Nunes e coorientação da prof.a dr.a Rita Catarina Medeiros Sousa, para obtenção do título de Mestre em Patologia das Doenças Tropicais, em 26 de outubro de 2012. Belém, Pará, Brasil.